6 Alternativas Ao Pornô Tradicional Que Vão Realizar Todas As Suas Fantasias

Atenção, este post contém conteúdo impróprio para menores de dezoito anos.

Nunca fui muito chegada em pornografia tradicional, principalmente por nunca achar vídeos que fossem realmente legais ou atendessem às minhas fantasias. Sempre que eu procurava algo específico, só apareciam vídeos em que o homem era o foco central da sacanagem. Sem contar que 85% das vezes eu tinha certeza que a moça estava morrendo de dor/incômodo, o que me causava um grande desconforto.

Eu passava muito tempo tentando achar um vídeo que gostava, e ainda era obrigada a ver aqueles banners com cenas não solicitadas de sexo hard a cada página que eu clicava. Digamos que lésbicas com unhas de plástico gigantes, close up em cenas de penetração, e ver uma mulher quase vomitando ao fazer um boquete  nunca estiveram na lista das coisas  mais excitantes do mundo pra mim.

cblbd2hucaairtp
Achas que tens o que é preciso para acabares com o meu tesão?

Até me interessei por um tempo por pornografia feminista, mas os vídeos eram muito difíceis de encontrar, e depois de ler algumas coisas terríveis sobre a indústria pornográfica, resolvi parar de assistir de vez.

Como eu também sou humana e preciso de um estímulo para a criatividade de vez em quando, comecei a procurar alternativas para a pornografia, e descobri que elas funcionam muito mais pra mim do que os vídeos que encontramos no RedTube.

Literatura erótica

literatura

Bom, é claro que eu vou puxar a sardinha para o meu lado, mas o fato é que literatura erótica sempre foi , para mim, a mais estimulante fonte de inspiração. Comecei a entrar em contato com este universo na adolescência, com fanfics e comunidades no Orkut em que as pessoas postavam confissões sexuais anonimamente. De lá pra cá, já li de tudo um pouco, e eu acho que o mundo dos contos eróticos é muito mais democrático do que a pornografia tradicional. A gama de fantasias e de públicos é muito mais abrangente, e as histórias são escritas por todos os tipos de pessoa.

Como tem de tudo, tem bastante coisa estranha, mas eu acho que os contos eróticos ganharam má fama injustamente. Tem muita coisa interessante na Internet pra ler. Além do meu blog, claro (hehe), recomendo o Tumblr 100 Contos Eróticos, o portal do Meus Fetiches, o blog O Segundo Cu, e o blog do Portal Lelo (em inglês).

Tumblrs de sacanagem

Computers-nat-and-sara-34309632-500-331.jpg

Como pra muita gente uma imagem vale mais do que mil palavras, recomendo fortemente aventurar-se nos muitos Tumblrs safadinhos que existem por aí. O Tumblr é a rede social mainstream mais permissiva com pornografia e nudez, e muitas páginas são acervos enormes de fotos, imagens e gifs eróticos. As temáticas são as mais variadas, tem pra todos os gostos, é bem mais fácil de encontrar material LGBTQ e você vai descobrir que pode ser muito mais sexy assistir a um gif erótico, um foco naquela cena específica de sexo que faz tudo valer a pena, do que a um vídeo. Para funcionar como ponto de partida, aqui estão alguns dos meus preferidos:

Lady Cheeky – Premiadíssimo, focado basicamente em conteúdo erótico heterossexual.

Ok To Me – Mais alternativo, muitas imagens para o público LGBTQ

Pornograficamente – Foco principal em fotos, numa pegada mais artística.

Áudios eróticos

audio         

Tem coisa mais sexy do que ouvir um gemido no pé do ouvido? Eu sempre adorei todos os barulhinhos do sexo, mas na pornografia tradicional, os gemidos me soavam falsos e exagerados. Até que eu descobri que existe um mundo de áudios eróticos na internet. Desde pessoas que gravam os próprios gemidos ou transas, passando por áudios com instruções para masturbação até gente que faz um verdadeiro audiobook super elaborado, e capricha na sacanagem. Tem áudios gravados por todos para todos, então as chances de encontrar algo sob medida pra você são grandes. O Tumblr Sounds of Pleasure reune vários destes áudios, de todos os tipos. A parte ruim é que a maior parte está em inglês, mas também dá pra achar bastante coisa no YouTube. Fica a dica.

ASMR

donnaasmr-profile-pic

“ASMR” é sigla para “Autonomous Sensory Meridian Response”, uma sensação de euforia que é chamada também de “orgasmo cerebral”, provocada por uma sequência de sons repetidos e relaxantes.  Há alguns anos começaram a pipocar vídeos para provocar ASMR em quem assistisse. No começo, o objetivo era alcançar um estado de relaxamento e prazer não sexual, mas como na internet tudo acaba em putaria, não demorou para surgirem vídeos de ASMR erótico, que prometem até levar os expectadores ao orgasmo sem nenhum tipo de toque! A experiência é muito diferente e interessante, então vale a pena separar um tempinho tranquilo, colocar os fones de ouvido e ver se este tipo de estímulo vale pra você! Aqui está uma sugestão de vídeo pra você começar:

https://www.youtube.com/watch?v=zZzG-7TN8Jo

https://www.youtube.com/watch?v=EtlM7Op2eJI

Quadrinhos eróticos

XVMc35a9c7e-11e1-11e6-ae46-577acce3d9ab-805x574.jpg

Não deixe o preconceito te vencer: Desenhos podem ser tão excitantes quanto ou até mais do que imagens reais. Mais uma vez, a oferta é infinita, tem de todos os tipos, para todos os gostos. Um dos segmentos mais conhecidos, o Hentai, é uma variação erótica das revistas em quadrinhos japonesas, também conhecidas como Mangás. As revistas são muito populares, e existe até um site no Brasil dedicado só a elas, o Hentai Brasil. O site Maníacos Por Comics tem uma seleção enorme de quadrinhos eróticos de todos os tipos, estilos e origens. O bom é que lá dá pra pesquisar por categoria. E se você se interessou e quer ir mais à fundo, existem muitos livros disponíveis no mercado de Graphic Novels eróticas. Para você ter uma ideia do que pode encontrar, dá uma olhada neste link do BuzzFeed que reúne algumas ilustrações famosas destes livros. Quem sabe você não se dá um presente na próxima ida à livraria?

Brinquedinhos

brinquedinhos

Às vezes a nossa imaginação só precisa de um empurrãozinho extra. Que tal criar coragem e experimentar um brinquedo sexual na hora de se divertir sozinho? As opções no mercado são infinitas, e é uma maneira muito legal de você descobrir novas sensações e conhecer melhor o seu corpo. Desde vibradores tradicionais, passando por vibradores clitorianos, anéis penianos, lanternas, plugues, até esferas eróticas, com certeza existe uma escolha certa pra você.

E aí, ficou inspirado? 

Anúncios

Os melhores funks pra se sentir empoderada

Na crista da onda do lançamento da maravilhosa música “100% feminista”, um feat entre as divíssimas Mc Carol e Karol Conká, resolvi listar aqui outros funks que deixam a gente se sentindo, ó, foda.

Não é só o Pop que tem hinos para empoderar as mulheres, como eu listei neste post. É verdade que o funk é um estilo musical ainda marcado por muito machismo, misoginia, objetificação e até exaltação da violência contra a mulher, mas já faz um tempo que várias artistas vêm se posicionando e dando resposta a altura! Vem conferir:

A Porra da Boceta é Minha – Gaiola das Popozudas

Clássico dos clássicos, né, mores? Aqui vai ter libertação sexual SIM. Gaiola das popozudas das antigas, mandando o papo reto: O cara quer te difamar porque você não foi pra cama com ele? Não tem problema, porque não é da conta de ninguém pra quem você dá.

Estrofe-poder: Eu vou te dar um papo, vê se para de gracinha. Eu dou pra quem quiser que a porra da boceta é minha!

Bota dizendo que ama – Mc Pocahontas

Não é segredo pra ninguém que eu sou fã MESMO da Mc Pocachontas. Ela começou a carreira no funk bem nova, e ainda assim sem papas na língua. Nesta música, ela estraçalha o mito de que nós muheres só fazemos sexo com amor. Tem horas que a gente não quer se apaixonar, só quer se divertir.

Estrofe-poder: Tá preocupado, não me leve a mal, pra que sentimento na hora da cama? Mas já que se apaixonou, então bota dizendo que ama.

Estaladinha – Mulher Filé

Levanta a mão quem já pegou um boy com nojinho de pepeka. A Mulher Filé veio mostrar que com ela não tem isso não. Antes de transar, ela quer um bom oral, e explica direitinho pro bofe como é que faz, caso ele não saiba (meninos, prestem atenção no tutorial, tem muitos de vocês precisando). Quase uma versão brasileira de My Neck, My Back.

Estrofe-poder: Você quer me comer, e eu quero te dar. Mas antes de transar, eu quero a preliminar.

Piranha é o Caralho, Você Não Sabe O que eu Sofria em Casa – Mc Nem

Não, meus amigos, nem só de sexo vive o funk. Mc Nem manda a real sobre violência doméstica, aconselhando as mulheres que sofrem abuso dos parceiros a se libertarem. A música é tão foda, mas tão foda, que eu vou reproduzir aqui o primeiro verso inteiro, porque merece!

Amiga ou inimiga, não me importa o que tu é. Vim ter uma conversa contigo, bater um papo de mulher pra mulher. A mulher tem que se dar valor, pra poder ser valorizada. De que que adianta ter pose na rua e dentro de casa ser esculaxada? Toda roxa de hematoma, cada dia que passa ele é mais cruel. Apanha e aceita calada, só pra manter sua pose de fiel. É por isso que eu sou amante, não passo por essa humilhação. Não lavo, não passo e também não cozinho, tudo o que eu quero, eu tenho na mão. Levanta seu astral e faz ele pagar tudo o que fez contigo. Em menos de uma semana, desfila na pista com outro marido. Se alguém te chamar de piranha, levanta a cabeça e responde na marra: Piranha é o caralho, você não sabia o que eu sofria em casa!

Na Mira – Anitta

Anitta é poder né, minha gente, não há como discutir. Em toda música, é ela que dá as cartas, ela fala o que ela quer, o que ela espera, e como vai ser. Nesta aqui não é diferente; ela manda a real, está muito a fim do boy, mas se ele não der valor, a fila anda!

Estrofe-poder:  Tirou a sorte grande. Cuidado, não me espante. Sou diferente, quente, não dá mole, me garante. Mas se tu não quiser, eu quero menos ainda. Se fizer pouco caso, eu quero menos ainda.

Meu Namorado é o Maior Otário – Mc Carol

Já virou clássico. Mc Carol começou a carreira já enfiando o pé na porta e mostrando quem é que manda. Vai ter empoderamento, sim!

Estrofe-poder: Meu namorado é maior otário, ele lava minhas calcinhas. Se ele fica cheio de marra, eu mando ele pra cozinha.

Teoria da Branca de Neve – Mc Mayara

Ai, como eu amo a Mc Mayara. Fica até difícil escolher uma música só para colocar no post! Mas “Teoria da Branca de Neve” ganha pela ironia e o clipe maravilhoso. Afinal, pra que só ter um boy, se a gente pode ter sete? Receba!

Estrofe-poder: Pode falar o que for, princesinha ou periguete. Sou Mc Mayara a vida é minha e não se mete.

100% Feminista – Mc Carol e Karol Conká

Não sou eu que estou falando, gente, é o povo. O áudio foi disponibilizado hoje no youtube e já ultrapassou as 16.000 vizualizações. Se as expectativas estavam altas com um dueto tão foda, elas foram totalmente superadas. Eu arrepiei a cada verso da música. Não tem desculpa, não tem eufemismo: representatividade feminina na lata. Se você ainda não ouviu, dê o play AGORA, obrigada.

Estrofe-poder: Sou mulher independente, não aceito opressão. Abaixa a sua voz, abaixa a sua mão!

Manifesto pelo meu direito de viajar sozinha

WP_20160316_019.jpg
Sagitarianos: O signo mais viajeiro do zodíaco?

Viajar sozinha tem sido, para mim, uma experiência libertadora. A primeira foi em 2012, e desde então, não parei mais. Não é que eu não aprecie a companhia dos meus amigos e família, ou não goste de viajar com eles, muito pelo contrário. Mas tem algo de muito especial em estar o tempo todo na sua própria companhia, longe da sua zona de conforto.

546495_253237108106561_287069835_n.jpg
A primeira viagem: Cara de 9nha.

Poder viajar é um privilégio, e eu sou consciente disso. Priorizo viajar nos meus gastos porque é algo que me faz muito feliz, mas sei que, infelizmente, não é fácil conseguir fazer isso, pra ninguém. Valorizo muito o fato de conseguir juntar dinheiro para as minhas viagens e os momentos em que senti mais satisfação pessoal foi quando cheguei a um lugar com o qual sonhei por anos, e finalmente tive a oportunidade de conhecer.

Viajar sozinha é empoderador para uma mulher porque é um ato de se presentear. Planejar, sonhar, priorizar sempre as próprias escolhas e vontades. Sem ter que se preocupar com mais ninguém, é um exercício de ser permitir fazer o que nos faz feliz. Vou acordar cedo e andar por todos os museus – ou não, vou ficar dormindo no hostel até as três da tarde e depois dar um volta pelo bairro. Não existe viajar certo ou errado quando se está sozinha, existe apenas a sua maneira de aproveitar ao máximo a experiência que você se proporcionou. Para nós, que sempre somos ensinadas a estar em segundo plano, para quem ser abnegada é uma qualidade, que sempre ouvimos que devemos colocar nossos filhos, marido, família antes das nossas próprias vontades, é libertador.

11255216_813942272036039_3428320793737006665_n.jpg
Nem sempre é fácil achar quem tire uma foto sua quando se está sozinha.

Além disso, é uma oportunidade de autoconhecimento. Aquele clichê de, “é preciso saber apreciar as coisas sozinho para apreciá-las com outra pessoa”, é verdadeiro. Viajar sozinha significa estar na própria companhia o tempo todo – o que pode parecer sufocante. Afinal, na rotina, estamos sempre com mil coisas na cabeça – o trabalho, os amigos, os compromissos. Quando o tempo desacelera e estamos a sós com nossos pensamentos, temos a chance de nos conhecer de verdade. Embora pareça assustador, apreciar a própria companhia é essencial para sermos felizes de verdade. Para nos amarmos de verdade. E foi viajando sozinha que eu descobri muitas vezes o que eu gosto de fato. O que realmente me faz feliz. Aquela coisa hype que todo mundo acha o máximo fazer, às vezes simplesmente não é pra mim, e tudo bem. Descobrir o que realmente me faz bem longe do julgamento de outras pessoas me faz tomar decisões muito melhores na minha vida.

Não tenho a menor dúvida, os melhores momentos da minha vida aconteceram quando eu estive viajando. Me senti viva,  gostando de mim. Conheci mulheres maravilhosas e me senti inspirada ouvindo as suas histórias e aventuras. É algo que recomendo a qualquer pessoa.

11265475_809270539127975_529557367733818517_n.jpg
Fazendo novos amigos em Roma.

 

Mas, tem um lado ruim de tudo isso. Uma mulher que viajar sozinha corre riscos. Eu sei disso, e vou mesmo assim, porque acho que não posso deixar a opressão me vencer e tirar de mim uma das coisas que eu mais gosto de fazer na vida. Mas notícias como a das duas jovens argentinas mortas no Equador, nos lembram que o mundo é muito cruel com as mulheres, e quer puni-las quando elas são livres. Eu já passei por muitas situações desagradáveis/perigosas/traumáticas só porque estava viajando sozinha. A impressão que dá é que se você está só, é um convite para os homens te molestarem. Eu queria fazer aqui um apelo para a empatia de vocês. Mulheres que viajam sozinhas querem descansar, se divertir, espairecer, como qualquer outra pessoa. Geralmente, trabalham duro para tal e merecem desfrutar da viagem como qualquer outra pessoa. Eu mereço desfrutar as minhas viagens sem:

  • Ser assediada pelo dono do hostel onde me hospedei.
  • Ser seguida por três quarteirões por um cara que queria muito saber de onde eu era e por que estava sozinha em Paris.
  • Ser convidada para tomar um drink no apartamento de um senhor alemão no meio da rua.
  • Ser abordada por três caras falando todo o tipo de baixaria a caminho de uma boate.
  • Ter três franceses tentando me embebedar “porque eu estava sozinha”.
  • Ouvir impropérios de um cara toda vez que me abaixava para pegar as roupas na mala no meio do quarto de um hostel.
  • Um cara tentar me beijar no meio da rua depois me mostrar as pulseiras que queria me vender.
  • Um garçom de um bar terminar o expediente, beber bastante com os amigos e achar que é ok ficar do lado da mesa em que estou sentada conversando com amigos estrangeiros que acabei de fazer, fazendo piadas agressivas e me encarando insistentemente.
  • Ninguém parar o carro ao lado de onde eu estou passando para me dar um tapa na bunda e perguntar quanto é o programa (e se eu fosse uma prostituta, também não é ok).

A lista continua.

Eu tenho certeza de que todas as mulheres que viajam sozinhas têm uma lista dessas de histórias de horror. Mas, sim, nós vamos continuar fazendo isso, porque é o nosso direito. Não vamos abaixar a cabeça. Cabe a você, que assedia mulheres só porque estão sozinhas, passar a nos enxergar como seres humanos.

 

 

As melhores músicas pop pra se sentir empoderada

Não é segredo para ninguém que eu sou uma adoradora incondicional de música pop, especialmente das divas maravilhosas que nos inspiram cada uma do seu jeito. Acho que o simbolismo de ter mulheres fortes, bem-sucedidas e influentes na mídia é muito poderoso. Então fiz aqui um apanhado das melhores músicas, na minha opinião, de mulheres para mulheres, pra ouvir e se sentir montada no poder. Tem diva pra todo gosto!

Stronger – Britney Spears

Britoca foi lançado ao sucesso astronômico com apenas 16 anos, cantando músicas românticas e fazendo as vezes de menina ingênua e sexy em Baby One More Time. No segundo CD, ela veio com essa bomba, aparecendo gotiquíssima no clipe e dizendo para  o mundo que os dias de querer alguém pra se sentir completa estavam para trás.

Estrofe-poder: “Now there is nothing but in my way, my lonliness ain’t killing me no more, I’m stronger”.

Can’t Hold Us Down – Christina Aguilera

Um grito feminista numa época em que o slut-shaming era a ordem do dia. Christina e Lil’ Kim falam de empoderamento sexual, profissional e histórico e fazem um clipe onde estão sensuais e sexuais, provando que nada disso diminui a dignidade feminina.

Estrofe-poder: If you look back in history, it’s a common double standard of society. The guy gets all he glory the more he can score, while the girl can do the same and yet you call her a whore.

U + Ur Hand – Pink

Essa música é simplesmente sensacional. Pink destrói os babacas que chegam na cantadinha, deixando bem claro que ela está muito bem se divertindo sozinha e não se deixa impressionar por homens que não a respeitam. Lacrou.

Estrofe-poder: Listen up, it’s just not happening, you can say what you want to your boyfriends. Just let me have my fun tonight.

I’m Real – Jennifer Lopez

J.Lo é poder puro. E apesar da carinha de boa moça no clipe, ela está falando da dificuldade que sente em encontrar homens que não se sentem intimidados com uma mulher tão sincera e empoderada. Mas mesmo assim, ela não vai deixar de viver a vida do jeitinho que ela prefere.

Estrofe-poder: I’ve met so many men and it’s like they’re all the same. My appetite for lovin’ is now my hunger pain. And when I’m feelin’ sexy, who’s gonna comfort me? My only problem is their insecurity.

Destiny’s Child – Girl

O Destiny’s Child é uma das bandas femininas que mais tem letras machistas. Mas nesta música, elas acertaram em cheio, promovendo a amizade feminina incondicionalmente. É muita sororidade.

Estrofe-poder: What you mean, you don’t need us to help. We known each other too well. I’m your girl, you’re my girl, we’re the girls, and don’t you know we love ya.

Chic Chic – Kelly Key

Eu sempre digo que Kelly Key é maior diva pop brasileira e é totalmente desvalorizada. Nessa música ela fala de como está cansada de ser explorada pelo marido e está é louca pra ser livre, cantar, passar batom e rebolar muito. Tudo com a vozinha típica do bubblegum pop. Só amor.

Estrofe-poder: Eu deixo tudo limpinho, você bagunça tudinho, assim eu não aguento mais. Eu quero ser famosa, ser uma grande artista, gravar comercial,ser capa de revista. Eles vão ver só quando minha música tocar, vou dar maior gritão.

Cockiness – Rihanna

Rihanna canta muito sobre sexo. E é sempre do ponto de vista dela. O que ELA quer, o que ELA espera, o que ELA gosta, o que ELA vai fazer. Se isso não é empoderamento, eu não sei o que é.

Estrofe-poder: Make me your priority, there’s nothing above my pleasure.

Peacock – Katy Perry

Katyzinha das antigas é cheia de ironia e fala de sexo de um jeito divertido e ao mesmo tempo, super agressivo. Ela basicamente está falando com quase todas as letras que está louca pra conferir o material do boy.

Estrofe-poder: Skip the talk, heard it all, time to walk the walk.

I Don’t Need a Man – Pussycat Dolls

Meu coração se parte quando eu penso que essa banda não existe mais, porque era muita música boa. Ao contrário do que se pode pensar, elas estão dizendo que querem amor de verdade, e não um babaca que vai dizer pra elas o que fazer. Afinal, elas não precisam disso para se sentirem completas. E além disso, a sensação de ser livre é a melhor do mundo. AMÉN.

Estrofe-poder: I don’t need a man to make it happen, I get off being free. I don’t need a man to make me feel good, I get off doing my thing. I don’t need a ring around my finger, to make me feel complete.

Get Outta My Way – Kylie Minogue

Como não amar a Kylie Minogue, não é mesmo? Nessa música ela deixa bem claro que não vai se contentar com uma relação insatisfatória e vai fazer tudo que a faz feliz. E se o cara não quiser acompanhar, melhor sair da frente!

Estrofe-poder: And no I ain’t goin’ home ‘cause I wanna stay. But I won’t be alone, no how, no way. Now I’ve showed you what I’m made of, this is what’ll happen if you ain’t givin’ your girl
what she needs.

What If Feels Like For a Girl – Madonna

Não daria pra fazer essa lista sem citar a rainha, a que começou tudo isso. Tem muitas músicas da Madonna que jorram empoderamento feminino, mas é nessa que ela faz uma análise sensível e profunda de particularidades muito íntimas do universo feminino. Bem no alvo, Madonna. Representando todas nós.

Estrofe-poder: Strong inside but you don’t know it. Good little girls they never show it. When you open up your mouth to speak, could you be a little weak?