Elétrica

tumblr_mddw7yllIl1rpydpj.jpg

Eu levo um choque toda a vez que a sua pele encosta da minha. É uma descarga de adrenalina que percorre meu corpo inteiro, inutiliza minha mente, deixa tudo uma névoa densa de vontade que me sufoca, me intoxica, me envenena.

Eu quero me arrebentar em você, de novo e de novo, e de novo, até eu estar em mil caquinhos espalhada pelo chão do seu quarto, que você quase me mata quando você faz essa cara de que não vai pra lugar nenhum, porque eu sei que não vai, eu sei que você vai continuar exatamente aqui, dizendo que vai perder o controle, que quer me apertar, me marcar, me bater, me fazer gritar o suficiente para o prédio inteiro ouvir. Vai continuar arrancando cada fio de autocontrole com os dentes, me fazer dizer que eu sou sua, porque eu sou, estou entregue, viciada, desorientada, absolutamente a mercê do seu toque, dessa dor deliciosa que você me provoca lá na alma. Eu tenho certeza que nasci pra isso, para estar no seus braços exatamente assim, uma amante contumaz, meio alcóolatra, descontrolada, egoísta, mas que te quer tanto que te inunda como um tsunami toda vez.

Vem logo se enfiar nos meus lençóis, você é gasolina para o fogo que eu tenho por dentro, e e estou em carne viva, em chamas, inflamada, vulcânica, absolutamente incandescente por você.

Digressão

Já faz tanto tempo que eu ando só, provando experiência de contato intenso em tempo curto, tão livre de amarras e sonhando com outro portos, que parece que a minha alma já tinha evaporado. Estava pairando por aí esperando condensar e cair como tempestade, inundando paragens distantes.

Você a trouxe de volta com um solavanco.

Já faz tempo que eu estou vivendo esta existência de beija-flor, sentando em bares para conversar como se tivesse um espelho na minha frente, e não pessoas reais, porque eu sempre soube que era só pra satisfazer o meu ego, e as minhas necessidades, e a minha vontade de ter o meu alterego com o melhor de mim (aquela de língua afiada e batom vermelho que eu sempre quis ser) sendo desejado e admirado.

Porque é mais fácil, e mais simples, e talvez a verdade é que eu ainda me assusto com as minhas sombras e aquelas minhas reações descontroladas e o pior de tudo a vulnerabilidade e eis que do nada estou muito consciente de mim e do que está à minha volta. Quando eu estava flutando por aí, de repente as sensações são ásperas e ameaçadoras e eu estou aqui me perguntando se na verdade eu só encontro maneiras de estar sempre de passagem.

Mas fora da minha neblina dói bem mais quando você finca os dentes na minha pele com mais força do que eu aguento de um jeito que me faz ter certeza que a realidade fora da minha bolha pode ser mais doída, mas também é infinitamente mais incrível.

Então estou saindo de nada para lugar nenhum, porque se é pra eu aprender alguma coisa com isso ainda nem sei o que é, mas saiba que você trouxe minha alma de volta, e ela está aqui, inteirinha, toda remendada, no ponto pra se estilhaçar.

 

“Tough girl in the fast lane
No time for love, no time for hate
No drama, no time for games
Tough girl whose soul aches
I come home, on my own
Check my phone
Nothing, though
Act busy, order in
Pay TV, it’s agony
I may cry, ruining my makeup
Wash away all the things you’ve taken
And I don’t care if I don’t look pretty
Big girls cry
When their hearts are breaking”

Sobre a minha covardia

Você é um enigma. Esse seu espírito livre, desapegado, essa sua alma cheia de aventura, com cheiro de mato e do alucinógeno da moda, você não tem medo de nada, não se impressiona e não se amedronta, não se acovarda mesmo quando o embate é doloroso e eu fico aqui sem saber quantas pecinhas se revelaram pra mim, e o que diabos isso significa. Eu me pergunto por que eu sempre me enfio mais ou menos nos mesmo buracos, as linhas distorcidas que podem significar muito ou podem não significar nada, os corações tão livres que não devem ter espaço pra mim.

Eu, por outro lado, sou uma cabecinha confusa e um coração que bate tão forte que qualquer dia sai quicando, vivo pra me arrebentar nas portas erradas, não entender porra nenhuma, pra ser sincera demais e não saber de mentiras ou joguinhos porque sou muito ruim em mascarar o que eu sinto, afinal eu sinto demais, demais demais demais e pouco me importa como as coisas realmente são, o que importa é as sensações que elas me causam e você cruzou o meu caminho e, ah.

Um dia desses podia ser que você tirasse a minha roupa pra gente tomar um banho de rio que nem você falou e quando não tivesse nada entre nós dois além da água morna e o sol batendo, e o cheiro de mato e eu sem saber se ele vem do mato ou de você, ou dos dois, eu ia olhar nesse teu olho de ressaca e te dizer o que você já sabe, porque é tão, tão óbvio.

Quando você abriu (e você abriu, filho da puta, você abriu mesmo), será que você sabia mesmo o que estava fazendo ou só quis ir futricar na bagagem da menina-fetiche?

Quanto mais você explica, menos eu entendo.

E o pior, às vezes eu acho que você quer que seja exatamente assim.

Labareda

images (2)

Quando é que você vai abrir essa porta e me arrastar pra dentro de você, pra onde eu deveria estar, para onde eu já estou, que eu sei que eu sou cento e sessenta centímetros de pólvora e sou intensa demais, franca demais, descomedida demais pra tudo, mas por algum motivo você entende, você não me condena, você quer, você sopra a brasa até ela inflamar inflamar, e eu tô cheia de febre, eu te quero por dentro por trás dos olhos e deve ter que ser assim, só pode ser, porque nunca nada fez tanto sentido e tem desejo demais pra eu me preocupar com pontuação, que eu já cansei dessa horda de gente que aparece de todo canto querendo me domar só porque tem medo da fera que grita por dentro mas você vem aqui brincar com ela com essa voz rasgada que raspa na minha pele e me enlouquece, o que é que a gente tá esperando pra tocar fogo na cidade inteira agora que eu já sei, eu já sei que dá, eu já sei que existe, então chuta essa porta e me arrasta pra dentro que é onde eu quero estar e nunca mais sair.

“Eu acho tão bonito isso
De ser abstrato
A beleza é mesmo tão fugaz
É uma ideia que existe na cabeça
E não tem a menor pretensão de acontecer
Pode até parecer fraqueza
Pois que seja fraqueza então
A alegria que me dá
Isso vai sem eu dizer
Se amanhã não for nada disso
Caberá só a mim esquecer
O que eu ganho, o que eu perco
Ninguém precisa saber”