Vlog – Um fim de semana em Budva (Montenegro)

Neste verão resolvi fazer algo de diferente – mesmo! Peguei um avião e fui de Berlim para Budva, em Montenegro, um destino ainda não tão conhecido mas que é um verdadeiro paraíso; praias deliciosas, paisagens de tirar o fôlego e melhor: sem precisar gastar demais.

Anúncios

Vlog: Brasil!!!

Depois de mais de um ano, estou de volta ao Brasil para rever família e amigos. Mas sempre é estranho quando a gente volta depois de tanto tempo fora, né? Em uma semana de terrinha teve amigos, Banda Uó, tucanos de verdade e muita, muita chuva.

De rolê pelo UK: Londres e estúdios do Harry Potter

Fui dar um passeio em Londres para realizar um sonho de infância: Visitar os estúdio em que foram filmados os filmes de Harry Potter! Como Pottermaníaca assumida, foi um dos melhores passeios que eu já fiz na vida. Aproveitei também para dar outros passeio na capital britânica.

 

Vlog: Sendo brasileira na gringa

Saiu o primeiro Vlog em inglês no canal! Flertei por um tempo com essa ideia, mas foi só quando acontecimentos infelizes da vida real me deixaram de saco cheio de ser tratada como um brinquedinho sexual nas minhas andanças fora do país só por ser brasileira que eu achei que realmente faria sentido fazer esse vídeo.

O estereótipo de que a gente é sexy e selvagem não é só irritante, mas traz muitas situações de desconforto e perigo. O vídeo tem legendas em português, e espero que represente muitas mulheres por aí que sentem a mesma coisa.

 

Vlog: Meus últimos dias em Berlim!

É verdade, estou indo embora de Berlim, mas eu volto! Arrumar as minhas coisinhas para ficar um bom tempo fora me fez refletir sobre como foram esses meses na cidade do pecado e como foi a minha adaptação e o processo de criar uma vida totalmente nova.

Carta para uma paixão

Berlin-night-2.jpg

Ah, Berlim, Berlim… Eu te quis tanto, eu sonhei tanto em estar aqui. Eu nunca fui de resistir às grandes paixões, e com você, foi amor à primeira vista. Daqueles de largar a família, o emprego, a casa, para se viver de amor.

Eu vim querendo descobrir você, mas na verdade, acabei me descobrindo. A gente nunca acaba de se conhecer, mas é só fora da zona de conforto o que está lá no fundo é revirado e vem parar na superfície.

Caminhar nas suas ruas me lembra o tempo todo que eu sou uma forasteira. É como se eu estivesse vendo uma vitrine de uma cidade da qual eu ainda não faço parte. Quando eu paro para observar os jovens casais nas manhãs de domingo nas praças do Friedrichsain, nas noite iluminadas no Mitte, deitada no gramado do Tiergarten ou rangendo os dentes ao voltar para casa de madrugada na Warschauer Straße, quando eu tropeço na língua arrastada, quando o jardim amanhece coberto de gelo, eu sinto que ainda estou vivendo uma paixão platônica, e às vezes nos esbarramos nas esquinas, nos abraçamos e nos beijamos, mas depois cada uma segue o seu caminho.

Mas eu vim para me perder, então eu quero que você me arraste, que você me afogue, que você me cuspa do outro lado mudada.

Não a pessoa que se apaixonou por você.

Mas a pessoa que te ama.

Navegar é preciso

1271894677426_f

Foram 22 dias, 5 países, 8 cidades. 22 em que eu nem comi, nem dormi, nem tomei banho direito… E nunca fui tão feliz. É a sensação de se conhecer cada vez mais. É estar cercada de gente cheia de vida, de histórias, de energia, pra te impulsionar. Atirando-se ao mar, a existência passa a fazer sentido. Viajar é a única coisa que realmente faz sentido na vida.

Já dizia o poeta, e não é a toa. Lançando-se ao desconhecido, encontramos propósito. A nossa existência passa a ter o dobro da força, porque ela não está atrelada ao que ficou em terra; ela passa a importar por si só. Ainda que seja a custa de tantas mortes, perigos e tormentas, como dizia o Velho do Restelo, as lágrimas são um preço até justo a se pagar para encontrar o sentido de se estar aqui, neste momento. Navegar é preciso. Viver, nem tanto.

No lugar do coração, eu tenho uma bússola. E ela está apontando sempre para o norte, sempre pra longe, sempre para mais perto de mim. Eu só sinto a minha alma, quando ela está em movimento.