Caro homem pró-feminismo,

homem nao precisa ser anti homem pra ser pro mulher.png
Fonte

e então, meu amigo que adora encher o peito e dizer que é pró-feminismo. Que vai na marcha das vadias, que posta textão no Facebook no dia oito de março, que diz que quer ouvir o nosso lado, que fala por horas de como os seus amigos são machistas, vangloriando-se de não ser igual, que ri complacente quando a gente diz que homem é uma merda.

Eu tenho uma notícia pra você.

Vai chegar uma hora, em algum ponto, que você vai receber uma crítica. Vai chegar uma hora que o machismo que você julga nos outros vai ser apontado em você. Vai chegar uma hora que você vai ouvir algo que não quer. Pode ser uma coisa boba, só um “aquele personagem que você adora em Star Wars é bem machista”. Pode ser que te avisem que você tem mania de interromper a fala das minas. Pode ser que te avisem que aquele comentário que você fez outro dia foi muito desnecessário. Pode ser que te cobrem continuar amigo daquele bróder que tem fama de assediador. Pode ser que te digam que a sua ex se sentiu sim pressionada a fazer aquele aborto.

E aí, meu amigo, o que você vai fazer?

Vai reagir na defensiva, vai negar de primeira, vai rechaçar argumentos? Ou vai parar para ouvir, vai refletir com calma, mesmo que isso signifique ter que aceitar que você não é todo esse cara legal, inatingível que você gosta de achar que é?

Olha só, não é que ninguém está dizendo que você é uma pessoa ruim. Nem que todos os seus esforços em ser nosso aliado vão ser anulados a partir de agora. Mas é o momento em que o feminismo toca nas suas feridas que te define. Ninguém disse que é fácil. Nenhuma mulher aprendeu sobre o feminismo sem se doer. Sem questionar as próprias atitudes. Sem ter que se rever inteira. Ir até o fim é um caminho sem volta; não dá pra fazer sem sacrifício pessoal. A desconstrução tem que ser diária, e às vezes ela é incômoda. E aí, o que me diz? Tá mesmo a fim?

É fácil enxergar os defeitos dos outros homens; separá-los de você e se sentir melhor do que eles. Mas isso nos ajuda muito pouco na luta. O que agrega de verdade é você querer ouvir, estar disposto a rever suas atitudes, a remexer do seu passado, a admitir os erros. Só isso vai ser capaz de te transformar num aliado real. Num homem que na próxima não vai nos diminuir, nos agredir, nos silenciar. O resto, me desculpe, é pura vaidade. Se você quer se unir à nós, saiba que algum dia o feminismo vai bater na sua porta. E você vai ter que decidir se você só quer se sentir especial, ou se quer ver que o machismo está em todos nós. Está em você. E pra poder se livrar dele de verdade, só vai ter um jeito; descobrindo até onde ele vai.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s